O marketing de conteúdo é, sem dúvida alguma, uma das principais frentes que vem sendo trabalhada no marketing digital. Kotler trabalha como o principal elemento dentro do Marketing 4.0 a ser desenvolvido.

Atualmente Marketing de Conteúdo está em alta.

“O marketing de conteúdo se basei na premissa que ao oferecer algo de valor para seu cliente, você está criando um relacionamento saudável, baseado na confiança, diferente do modelo tradicional.”

Diego Gomes – Co-Founder Rocke Content
  1. Diretrizes para o marketing de conteúdo:
  2. Conhecer seu público/Definir Personas
  3. Definir metas e objetivos
  4. Produzir conteúdos relevantes
  5. Definir mídias
  6. Mensurar resultados e ajustar processos

“Marketing tradicional fala para as pessoas, marketing de conteúdo conversa com elas.”

Doug Kessler – Agência Velocity

“É a técnica de criar e distribuir conteúdo relevante para atrair, adquirir e/ou engajar uma determinada audiência conhecida”

Content Marketing Institute

A esse está em produzir algo de qualidade, útil e informativo e que agregue valor aos usuários.

Publicidade Tradicional vs Marketing de Conteúdo

E como encontrar, criar conteúdo relevante?

Para que a gente consiga criar conteúdo relevante, é de extrema importância que a gente conheça bem as personas.

Atenção, Investigação, Observação, Interação e Diálogo

Já que todo mundo pode criar conteúdo, o grande desafio é: como criar um conteúdo mais relavante do que a concorrência?

Conte histórias (Storytelling)

Storytelling consiste na partilha de uma história única e real de uma empresa ou de um produto, criando uma relação de proximidade entre a organização e os públicos. Uma boa história revela a grande vantagem que a empresa em questão trouxe ou pode trazer para a vida das pessoas. E é por meio dessas história que as pessoas criam ligações.

Motivos para utilizar o storytelling no mundo corporativo: Otimizar a gestão e apresentar o conhecimento; engajar múltiplos públicos; Influenciar comportamento de consumo; Agregar valor e incrementar o relacionamento com as marcas; Reduzir investimento de mídia; Otimizar o potencial criativo.

“O poder das histórias é a habilidade não só de informar e desafiar, mas também de inspirar e transformar o mundo. Fale o que você tem em mente e tenha em mente o que fala, preferencialmente em poucas e bem escolhidas palavras”.

Richard Branson

Ficção x Realidade? Imaginação x Memória? Verdade ou mentira?

Nem mesmo um relato autobiográfico é uma história real – a narrativa carrega sempre o ponto de vista parcial e político do autor.

É preciso tomar bastante cuidado com a história que se conta.

Storytelling vs Storydoing: Não adianta contar uma história diferente da história que você está fazendo. Pode ter umas pitadas de parcialidade, mas não pode fugir tanto da realidade.

Um case interessante é o vídeo da Kombi, em que ela conta a história dela em um vídeo de despedida:

Emocionante, né?

Outro vídeo que traz uma narrativa bem interessante com histórias reais, é a ação da Samsung em relaçaõ ao primeiro encontro. Vejam o vídeo abaixo:

Humanize o relato (influência do outro)

O relato de uma pessoa sobre algo que ela se identifica, acaba influenciando o outro.

Esteja atento ao que está na pauta

Acompanhei o que está em alta, veja os trending topicas, o que está sendo relevante para o seu público.

Fale de temas muito além da organização

Não adianta eu levantar a bandeira de um tema que é diferente do que a organização pratica.

No próximo post iremos falar sobre Marketing de Experiência.

Observações: Esse texto foi escrito com base em anotações na aula sobre Entendendo o Marketing: introdução e conceitos relevantes da Professora Madelon Piana, do curso de Marketing Digital – Estratégias e Negócios da PUC Minas.

Imagem de capa criada por creativeart – br.freepik.com
Fernando Carvalho

Fernando Carvalho

Graduado pela Universidade de Brasília - UnB, pós-graduado em Administração de Empresas, possui MBA em Gerenciamento de Projetos pela Fundação Getúlio Vargas - FGV e atualmente cursa Especialiazação em Marketing Digital: Estratégias e Negócios, na PUC Minas. Fernando tem bastante experiência na Gestão de Projetos Digitais. Mora em Brasília e atua como COO (Diretor de Operações) da EduQC, startup brasileira de Educação e Inteligência Artificial.

Deixe um comentário