Seguindo com a nossa série de textos sobre o Marketing na Era Digital. Hoje vamos falar sobre as principais diferenças entre o Marketing 1.0 a 3.0.

Apenas para relembrar, o Marketing 1.0 era focado principalmente no produto. O Marketing 2.0 no consumidor e o Marketing 3.0 já leva em consideração o ser humano como um todo e a multiplicidade de interferências que acontecem no mercado

Vamos analisar as diferenças mais importantes nessas 3 frentes de marketing.

Comparação entre Marketing 1.0, 2.0 e 3.0

Marketing 1.0
Centrado no Produto
Marketing 2.0
Orientado no Consumidor
Marketing 3.0
Guiado por valores
ObjetivoVender produtosSatisfazer e reter clientesFazer um mundo melhor
ForçasRevolução IndustrialTecnologia da InformaçãoTecnologia de uma nova era
MercadoCompradores em massa – necessidades físicasConsumidor com Coração e MenteConsumidor com Coração, Mente e Espírito
Conceito chaveDesenvolvimento de ProdutoDiferenciaçãoValores
Função da área de MarketingEspecificação do ProdutoPosicionamento do Produto e empresaMissão, visão e Valores
Proposição de valorFuncionalFuncional e EmocionalFuncional, Emocional e Espiritual
Interação com consumidoresTransações um-para-muitosRelacionamentos Um-para-umColaborações Muitos-para-muitos

“Você pode escolher qualquer cor, desde que seja preto”

Marketing 1.0 – Henry Ford

É importante salientar que quando um novo marketing começa a existir o anterior não deixa de existir, mas sim, são acrescentados elementos que não abrem mão de tudo o que foi considerado ao longe desses modelos.

O que muda nessa evolução é o relacionamento entre marcas e consumidores, uma vez que o o contexto impacta bastante esse proceso.

Marketing 3.0

Kotler traz a proposta em 2010 e 7 anos depois já trouxe o Marketing 4.0, um período muito curto, uma vez que as mudanças trazidas pelo digital impactaram muito rapidamente em como as marcas se comunicam e se posicionam.

O Marketing 3.0 é uma proposta mais sensível, rompendo com alguns passivos de outros modelos anteriores. trazendo um foco maior em colaboração, confiança, propósito, comportamento social, valores, inovação, transformação sociocultural.

As marcas vem tentando assumir um discurso que seja politicamente correto, inclusive em alguns casos, desmitificando conceitos.

Marketing Social e Marketing das Causas

Vejamos alguns cases de comerciais que mostram essa mudança de comportamento e posicionamento das marcas relacionadas ao Markerting 3.0 com valores e causas mais sensíveis. Entendo o ser humano com um todo.

O que temos que perceber nesse comercial é a frase “bebê johnson’s” era um bebê atendia a todos os esteriótipos da perfeição. Então quando você via um bebê muito bonito, tinha gente que falava: parece um bebê johnson’s. E traz um comercial que para todas as mães um bebê é um bebê johnson’s. Trazendo toda uma causa. Uma repercussão muito grande.

Porém, não adianta uma marca abraçar causas, se ela não sustenta essa causa pelo seu produto, sua atuação, pelos diferentes pontos de conexão que o cliente estabelece com essa marca.

É super interessante esses comerciais? Sim, mas precisa ter alinhamento entre discurso e prática. Precisa ter coerência. A marca precisa se identificar.

Alguns exemplos de comerciais que desconstroem esteriótipos:

Não deixem de ler os comentários desses vídeos no Youtube.

Observações: Esse texto foi escrito com base em anotações na aula sobre Entendendo o Marketing: introdução e conceitos relevantes da Professora Madelon Piana, do curso de Marketing Digital – Estratégias e Negócios da PUC Minas.

Fernando Carvalho

Fernando Carvalho

Graduado pela Universidade de Brasília - UnB, pós-graduado em Administração de Empresas, possui MBA em Gerenciamento de Projetos pela Fundação Getúlio Vargas - FGV e atualmente cursa Especialiazação em Marketing Digital: Estratégias e Negócios, na PUC Minas. Fernando tem bastante experiência na Gestão de Projetos Digitais. Mora em Brasília e atua como COO (Diretor de Operações) da EduQC, startup brasileira de Educação e Inteligência Artificial.

2 Comentários

Deixe um comentário